Sites comparam planos de internet e ajudam quem quer trocar de operadora

1

 

 

por REDAÇÃO OLHAR DIGITAL 11/04/2016 13H51

Nos rankings mantidos pelo Reclame Aqui, empresas de telecomunicação e seus planos de internet ou telefone estão quase sempre no topo das reclamações. Com tantos consumidores insatisfeitos, fica difícil saber se existe alternativa no mercado ou se o jeito é brigar com a operadora por condições melhores. Ler mais

Proprietário de carro popular terá seguro mais barato

t

 

04/04/2016 / Fonte: Lupa Comunicação

Uso de peças usadas com certificado de garantia beneficia 65 milhões de veículos usados e deve reduzir custo em 30%

O seguro de carros populares usados pode ficar até 30% mais barato. A Superintendência de Seguros Privados (Susep) publicou hoje no Diário Oficial a Resolução 336, que estabelece novas regras e critérios para o chamado Seguro Auto Popular. A norma permite a utilização de peças usadas, devidamente vistoriadas pelo InMetro, oriundas de empresas de desmontagem para reparo de veículos cobertos pelo seguro. O novo produto deve atingir 65 milhões de automóveis com mais de cinco anos de fabricação, que hoje circulam totalmente desprotegidos, colocando em risco seus proprietários e terceiros. Além disso, o seguro estimula a legalização dos chamados ferros-velhos e combate o comércio ilegal de peças e da venda ilegal de produtos do mercado marginal de seguros, chamado de proteção veicular. Ler mais

Ataques piratas continuam em alta

1

Ataques piratas continuam em alta

01/04/2016 / Fonte: Jornal do Commercio

O estudo “Safety & Shipping” , da resseguradora alemã AGCS, do grupo Allianz, revela que as perdas de dados já não são as maiores preocupações cibernéticas, dado o fato de que a indústria marítima conta cada vez mais com a interconectividade tecnológica. Os avanços na navegação eletrônica e a ‘internet das coisas’ mostram que a indústria precisará se adaptar para novos riscos em poucos anos, como os avanços das ameaças na pirataria.

“Piratas já estão criando ‘buracos’ em redes de segurança cibernética, buscando roubar cargas específicas”, explica o também consultor sênior em Riscos Marítimos da AGCS, capitão Andrew Kinsey. Pela primeira vez em cinco anos, os ataques piratas não tiveram queda em suas estatísticas. No Sudeste Asiático, os ataques subiram, sendo responsáveis por 60% dos incidentes registrados. Além disso, os ataques no Vietnã têm crescido de ano em ano.

Além da pressão econômica aumentando os riscos apresentados à manutenção e tripulação das embarcações, assim como as possibilidades atuais dos cibercriminosos, a redução de emissões de combustível também se apresentou como um risco em potencial, que poderia resultar em problemas de potência, conforme a AGCS pôde notar: O problema decorre do uso de combustíveis com teor ultrabaixo de enxofre. Além disso, as águas do ártico se provaram mais perigosas em 2015, com 70 casos reportados no local. É o maior índice da década, com aumento de quase 30% ano a ano.

 

Sem anúncio

%d blogueiros gostam disto: