SEGURO DE VEÍCULO:SUSEP LIBERA O USO DE PEÇAS SIMILARES OU USADAS

Prevista queda no preço médio do seguro!

Esta nova modalidade visa atender o consumidor cujo veiculo já perdeu a garantia de fabrica, e concorda (em contrato) na utilização de tais peças pagando menos por um seguro com esta opção.
23/08/2019 – Fonte: Fenacor, com informações da Susep e do CQCS

Susep libera o uso de peças similares ou usadas

A Susep comunicou ao mercado, através de carta circular e com base em parecer jurídico da Procuradoria Federal junto à autarquia, que não há impedimento regulatório à utilização de peças novas, originais ou não, nacionais ou importadas, ou mesmo usadas (neste caso, no âmbito da Lei 12.977/14, conhecida como “Lei do Desmonte”, de autoria do então deputado federal e atual presidente da Fenacor, Armando Vergilio), nos casos de danos parciais dos seguros de automóveis. 

A medida, que há tempos era reivindicada pelos seguradores para viabilizar o seguro popular, será válida para todos os contratos de seguros de veículos.

Além disso, pode atender também a outra necessidade do mercado, ao criar as condições necessárias para a redução do preço final do seguro legal, que passar a ter, dessa forma, maior capacidade para competir com as associações de proteção veicular, que atuam à margem da lei.

A mudança também tem como referência o Código de Defesa do Consumidor, principalmente o artigo 21, segundo o qual “no fornecimento de serviços que tenham por objetivo a reparação de qualquer produto considerar-se-á implícita a obrigação do fornecedor de empregar componentes de reposição originais adequados e novos, ou que mantenham as especificações técnicas do fabricante, salvo, quanto a estes últimos, autorização em contrário do     consumidor”.

As seguradoras deverão informar nas condições contratuais que poderão utilizar as peças não originais e especificar que tipo de autopeça será usado. Deverá ficar claro para os segurados em quais componentes poderão ser utilizados os diferentes tipos de peças.

Nordeste tem recorde de geração de energia eólica, diz ONS

fonte Jornal do Brasil+A Imprimir

A geração de energia eólica no Nordeste do Brasil bateu na segunda-feira um novo recorde, alcançando média diária de 8,65 gigawatts (GW) médios, informou nesta terça-feira o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

Segundo nota do órgão, a geração eólica representou 89% da carga do subsistema e superou o número de 15 de agosto, recorde anterior, de 8,467 GW médios. O fator de capacidade foi de 74%.

Macaque in the trees
Energia eólica (Foto: REUTERS/Andres Stapff)

O Nordeste brasileiro é a principal região de geração eólica do Brasil, fonte que tem ampliado a representatividade no país nos últimos anos.

Em 2018, a fonte eólica representou mais de 8% da energia gerada para o sistema, segundo dados da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

Seguradora envolvida em fraude é suspensa

28/06/2019 / FONTE: CQCS | Carla Boaventura

O site Gaúcha ZH informa que a Superintendência de Seguros Privados (Susep), órgão responsável pela regulação do setor de seguros, anunciou na noite da última quarta-feira, 26, a suspensão imediata, via medida cautelar, das operações de assistência financeira (empréstimo fornecido por seguradora) da Sabemi Seguradora. Após a decisão, a empresa, que possui 38 filiais, está impedida de deferir novos empréstimos e créditos consignados a seus clientes.

A decisão foi tomada em razão de um processo administrativo iniciado em 2018 pela Susep, após haver suspeitas de irregularidades na concessão de empréstimos. A assessoria da Susep informou ao site GauchaZH que a Sabemi precisa parar imediatamente de comercializar os seus produtos, entretanto, a empresa pode entrar com recursos para reverter a decisão.

Segundo a ZH a Sabemi possui clientes em todo território nacional, seu ramo de empréstimos é formado por servidores das Forças Armadas de todo o país. Além disso, a seguradora afirmou estar surpresa com a decisão da autarquia e que tentará revertê-la. A punição imposta pela Susep é por tempo indeterminado, e a Sabemi tem 30 dias para recorrer no próprio órgão regulador.

O site ainda afirmou que o Grupo de Investigação da RBS (GDI) revelou que a Sabemi Seguradora era uma das beneficiárias de fraude contra aposentados do INSS. O esquema envolvia a falsificação da assinatura dos idosos para incluir nos seus contracheques descontos por seguros que as vítimas não haviam autorizado. A empresa está sob investigação da Polícia Federal (PF) por crimes contra o sistema financeiro e abriu, essa semana, um canal de atendimento para ressarcir os lesados pelo golpe.

Confira a nota da Susep:
Em relação à Sabemi, nesta quarta-feira, 26/06, a Susep comunicou a empresa sobre medida cautelar de suspensão imediata das operações de assistência financeira. Cabe ressaltar que tal medida foi tomada em face de processo sancionador iniciado em 2018.

Confira a nota da Sabemi:
A SABEMI esclarece que foi surpreendida no final da tarde de hoje com a notícia e já está tomando as providências necessárias para acessar a SUSEP de forma a poder esclarecer e reverter o mal-entendido.

Sem anúncio