Como cumprir as promessas de ano novo

metas2015-site
Imagem: freepik.com

Fim de ano é um momento em que as pessoas aproveitam para fazer planos e traçar metas para o ano seguinte. Emagrecer, gastar menos dinheiro, ter mais tempo para a família, trabalhar menos, trabalhar mais, investir na carreira ou conseguir um emprego melhor. Esses são alguns dos exemplos mais comuns das promessas feitas. O grande problema é que poucos realmente cumprem aquilo que pretendiam na hora da virada. Muitas vezes isso acontece porque as metas são esquecidas ou porque as pessoas não sabem por onde começar a agir.

Para colocar em prática qualquer planejamento, é preciso pensar em um plano de ação, pois são esses passos que vão ajudar a realizar a sua meta. Se não tiver isso, as metas se transformam em sonhos ou em um vago desejo. Para que você comece 2015 focado em seus objetivos, selecionei cinco ações que te ajudarão a se planejar para o próximo ano:

1 – Descubra o que é importante 

Como muitas pessoas não têm clareza do que realmente é importante, divida o seu ano em uma tríade. A primeira parte são as questões pessoais, por exemplo, incluir uma atividade física em seu dia, emagrecer ou controlar as finanças. A segunda, tem a ver com a leitura, o Brasil está entre um dos países que menos lê no mundo, porém essa é a única forma de abrimos a nossa mente para sairmos do lugar e termos novas ideias. Elabore uma lista de livros que você gostaria de ler no próximo ano.

Por fim, pense em tua carreira e defina o que você quer para a sua vida profissional e quais competências precisam ser desenvolvidas para que você consiga alcançar os seus objetivos. Quando pensamos nesses três pilares, começamos a ter insights. Faça um brainstorm e anote todas a ideias, isso é fundamental para que o seu planejamento aconteça.

2 – Selecione as ideias

Muita gente reclama que não tem foco, que se perde com facilidade, pois começa diversas atividades e não termina nenhuma. Para quem está começando, sugiro que selecione duas ou três ações que gerem equilíbrio e resultado, ou seja, que proporcionem um bem-estar pessoal e profissional ao mesmo tempo. No início, é melhor ser restrito, se motivar e aprender como executar as suas metas.

3 – Quebrar em pequenos pedaços 

As pessoas pensam macro e executam micro. Você não vai falar inglês fluente do dia para a noite, isso depende de uma série de pequenos passos, como fazer matrícula, ler dez páginas de um livro, ouvir 30 minutos de áudio etc. Quando você pega um sonho e acha que ele é grande ou impossível, é porque ele ainda está grande, aprenda a dividir o seu objetivo em pequenos passos. É isso que faz o seu tempo ser gerenciado e tornar seus objetivos mais viáveis, afinal você não faz a coisa grande, mas sim o pequeno ao longo da semana. Quanto menor esses pedaços, melhor para você.

4 – Acompanhamento

Você criou uma meta de emagrecer e tem um peso que você quer chegar ao final do ano. Porém, sem um acompanhamento constante, é bem provável que você esqueça da sua meta em menos de seis meses. Isso porque você não está constantemente em ação com a sua meta. Crie um compromisso de acompanhamento repetido na sua agenda. Não importa o período que você fará o isso, o importante é que você retome ele com frequência.

5 – Usar agenda para as tarefas

Se você não colocar na sua agenda, você não vai fazer. Tem muita gente que erra em relação ao uso da agenda e tem pessoas que nem usam. Se você for mais hightech, que gosta de tecnologias e smartphones, tem uma série de opções no mercado de aplicativos para gerenciar tarefas, como o Neotriad e Evernote. Já, se você for daqueles que não gosta de tecnologia, use a agenda de papel.

O importante é encontrar um método que se adapte mais ao seu estilo e anotar todas as demandas do seu planejamento.

Planejar-se é a maneira mais adequada para alcançar seus objetivos pessoais e profissionais. Se você quer mudar a sua vida, não deixe para amanhã, escreva em um papel para que memorize as suas metas e comece hoje a fazer a diferença para realizar os seus maiores sonhos.


Fonte: http://www.administradores.com.br/

Aplicativo transforma corridas e pedaladas em dinheiro para caridade

noticia_96206
Imagem Fonte: http://www.administradores.com.br

O aplicativo Charity Miles é, literalmente, capaz de transformar suor em dinheiro. Através de um GPS, o sistema calcula a quilometragem percorrida pelo usuário a pé, correndo ou pedalando e faz com que a distância vire doações monetárias para instituições de caridade.

O funcionamento é muito simples. Após baixar o aplicativo, disponível para dispositivos da Apple eAndroid, basta se cadastrar e começar a usar. Assim como acontece com outras ferramentas que medem distâncias, o Charity Miles utiliza o GPS para calcular o trajeto percorrido.

Antes de iniciar a atividade esportiva o usuário pode escolher a instituição que receberá o donativo. Por ser uma ferramenta norte-americana, a maior parte das organizações estão localizadas nos EUA, mas também existem opções internacionais, como a WWF ou a RED, que trabalha com a preservação de animais ameaçados de extinção.

A cada milha percorrida, que equivale a uma média de 1,6 quilômetros, é acrescentado um valor à soma total. O montante varia de acordo com o tipo de exercício. Caminhadas e corridas tem cada milha transformada em 25 centavos de dólar. As milhas percorridas de bicicleta são transformadas em um pouco menos, dez centavos de dólar para cada.

Esta é uma forma simples de unir o prazer de ajudar o próximo à atividade física. Para se ter uma ideia de como o sistema é eficiente, um corredor iniciante, que corra cinco quilômetros por dia, durante cinco dias da semana, doa 15 dólares por mês, sem precisar modificar em nada a sua rotina. O aplicativo ainda funciona como incentivo para aumentar as marcas nas pistas e na caridade.


Fonte: http://www.administradores.com.br/

Educar para atrair mais investimentos

educar-para-atrair-investimentos
Imagem fonte: http://www.agenciafiep.com.br/

O plano é ambicioso: em 10 anos, Pernambuco e Paraíba terão juntos um polo de educação e conhecimento automotivo de referência mundial – um ambiente inovador, em que a iniciativa privada e a academia se integram na formação de engenheiros, técnicos e na realização de projetos de pesquisa e desenvolvimento. Não é um trabalho simples. Mas o início do esforço conjunto foi simbolizado pela assinatura, ontem, de um protocolo de intenções entre instituições educacionais e a FCA Jeep, âncora do polo automotivo de Goiana, do grupo Fiat Chrysler Automobiles (FCA). Mais de 140 profissionais, da multinacional e das entidades de ensino, tiveram reuniões técnicas e workshops até apresentar o plano para dar início à formação do polo. A relação dos primeiros cursos, muitos ainda em detalhamento, foram apresentados ontem em um evento dentro da fábrica em Goiana.O polo começará a produção comercial até março que vem. A Jeep está em pré-operação, fabricando protótipos. Ontem, pela primeira vez, a companhia permitiu a captação de imagens pela imprensa. Foi na oficina de montagem, a etapa que mais utiliza mão de obra em Goiana. “Nosso objetivo é em 10 anos podermos olhar no retrovisor e vislumbrarmos de fato um polo de educação e conhecimento automotivo que seja referência em níveis internacionais”, afirmou Erika Morreale, gerente de Recursos Humanos da América Latina FCA.

Adauto Duarte, diretor de Recursos Humanos do Polo Automotivo Jeep, conta que a primeira onda de implantação do projeto envolveu a fase de obras e instalação, que chegou a 8.200 trabalhadores. “Mas precisamos avançar”, enfatizou. Para a Jeep alcançar e manter um padrão de excelência global na produção, era preciso traçar uma estratégia permanente de preparação e qualificação de pessoal, dos níveis mais básicos aos mais avançados. “O conhecimento não é somente garantia de futuro para o empresário, mas também para a sociedade. É através do conhecimento que a sociedade vai evoluir do ponto de vista econômico e também social”, comentou Adauto.

“Esse tipo de conhecimento tem outra vantagem: ele atrai investimentos. Quantos empresários, mesmo de outro setor, dizem: ‘poxa, ali tem um centro de conhecimento, vou instalar meu empreendimento ali”, enfatizou. Para ilustrar a importância dos polos, ele falou do Porto Digital e também do famoso Vale do Silício, em Stanford, Estados Unidos, que começou com incentivos a pesquisas para a Marinha Americana e virou um polo global de tecnologia.

“Como sempre, nesses projetos, se pensa muito na questão tecnológica de um polo de conhecimento. Mas não é. Parte-se das pessoas”, explicou Stefan Ketter, vice-presidente mundial de Manufatura da FCA, à frente do Polo Automotivo Jeep.

Uma das inovações do plano é já partir com várias instituições de ensino, que desenharam com a Jeep uma grade de cursos de formação básica, graduação, pós-graduação e especialização, distribuídos em Pernambuco e na Paraíba. A maior parte está em formatação. Mas já existe a expectativa de alguns cursos serem oferecidos ano que vem.

“Vamos oferecer pós-graduação em engenharia automotiva. O curso deve começar em abril ou maio, com 480 horas de carga-horária e um ano e meio de duração”, explica Edmilson Lima, vice-reitor substituto da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Inicialmente, a ideia é oferecer 40 vagas em duas turmas. O curso, ressalta Edmilson, é aberto a qualquer interessado – claro, para formados nas engenharias do setor, como mecânica ou mecatrônica.

O Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) está construindo novos campi ao norte da região metropolitana, explicou Ana Regina Ferraz, diretora do campus de Igarassu, uma das novas unidades, ao lado de Olinda, Paulista e Abreu e Lima. As sedes ficarão prontas em 2 anos, mas no período estruturas temporárias oferecerão cursos que não exigem laboratórios, como logística. Participam do esforço Universidade de Pernambuco (UPE), Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), Serviço Nacional da Indústria (Senai), Instituto Euvaldo Lodi (IEL) e Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE).

Segundo Ketter, o Centro de Engenharia, Pesquisa e Desenvolvimento no Recife, na antiga Fábrica Tacaruna, ficará pronto em até 2,5 anos. Até lá, o centro terá uma estrutura temporária, ainda sem endereço. Serão 500 engenheiros no trabalho para, no longo prazo, projetar carro inteiros em Pernambuco, enfatiza o executivo.


Fonte: http://www.mgcomunicacao.com/

%d blogueiros gostam disto: