Dicas para fazer uma viagem tranquila com o pet

dog-425059_1280
Imagem: Pixabay

Se o seu pet vai viajar pela primeira vez, faça uma viagem mais curta – como um passeio em um fim de semana. Além disso, é aconselhável avaliar a idade do animal (se é muito jovem ou velho); faça um check-up para saber como está a saúde do bicho. Em caso de fêmea grávida, o mais indicado é deixá-la com alguém de confiança. Para cães mais hiperativos, vale consultar um adestrador antes da viagem.

Viagens aéreas

Na hora de embarcar, o pet deve ter uma etiqueta de identificação – com o nome do bichinho e do dono e telefone de contato – colada na coleira. Com a ajuda de um veterinário, monte um kit de primeiros socorros e, para viagens longas, considere o uso de um tranquilizante para que o animal faça uma viagem confortável. Não esqueça de levar ração em quantidade suficiente para a duração da viagem. Leve também uma foto do bicho, para ajudar na identificação, caso o pet se perca.

Saúde

Na hora da viagem, a carteira de vacinação do pet deve estar regularizada – com todas as vacinas em dia, principalmente a antirrábica – e assinada por um veterinário. No caso de viagem internacional, é necessário apresentar o Certificado Zoosanitário Internacional (CZI), que é emitido gratuitamente pelo Ministério da Agricultura, nos aeroportos internacionais ou na sede do Ministério da Agricultura de cada Estado. Além disso, é importante checar se o animal atende a todas as normas vigentes exigidas pelo Serviço de Sanidade Animal (Serviço de Gestão da Vigilância Agropecuária). Para viagens nacionais, basta providenciar um atestado de saúde ou certificado sanitário emitido por médico veterinário.

Transporte

Para transportar o pet, escolha uma caixa resistente e ventilada e que permita ao animal dar um giro de 360 graus. É aconselhável que o bicho familiarize-se com o espaço dias antes da viagem. É imprescindível forrar o interior com panos ou jornais. Além disso, vale agradar ao animal com o brinquedo favorito para que ele se sinta mais acolhido.


Viagens de carro

Para viagens de carro, escolha um horário mais tranquilo para que o pet não fique cansado com trânsito ou sofra com altas temperaturas. Faça paradas a cada duas horas para que o animal possa se exercitar, fazer as necessidades e se alimentar. E não deixe o animal preso dentro do automóvel fechado, principalmente quando estiver estacionado sob o sol. Alguns pets podem sofrer enjoos durante a viagem, por isso, uma refeição leve 2 ou 3 horas antes da partida é o mais indicado. Vale consultar a lei nº 9.503, sobre transporte de animais, do Código de Trânsito Brasileiro.

Viagens de ônibus

Para viagens de ônibus, informe-se com a empresa sobre possíveis taxas de embarque. Algumas companhias transportam pets gratuitamente. Lembre-se de que é proibido o transporte de fêmeas grávidas ou no cio. Já a sedação é opcional e deve ser indicada por um veterinário, que também deverá emitir um atestado sanitário comprovando que o animal está apto para viajar. O documento também deve atestar sobre a vacinação antirrábica.


Fonte: http://petmoney.blogosfera.uol.com.br/

%d blogueiros gostam disto: