Os motores vão roncar ainda mais alto na Jeep

AFiat Chrysler Automobilies (FCA) planeja iniciar nos próximos 40 dias a terraplanagem da área que abrigará a primeira das três pistas – a de alta velocidade – que compõem o campo de provas da fábrica da Jeep, em Goiana, Mata Norte pernambucana. O grupo já iniciou o processo de contratação das empresas que irão realizar a construção. O terreno está localizado ao lado da fábrica, que iniciou a operação em abril. Além da pista de alta velocidade, o Centro de Provas de Goiana será composto pelas pistas de dirigibilidade e confiabilidade. O grupo não revelou o valor do investimento nem o tamanho da área que abrigará as pistas.

O Centro de Provas estará integrado ao futuro Centro de Pesquisas, Desenvolvimento, Inovação e Engenharia da FCA, onde serão desenvolvidas as novas tecnologias em componentes, motores e transmissões, alcançando, no futuro, a capacidade de desenvolver novos veículos. A ideia é que este centro funcione na área que hoje abriga a Fábrica Tacaruna, mas esta precisa ser oficialmente cedida pelo estado para o grupo. Enquanto isso, o projeto é tocado em imóveis temporários. O primeiro deles está localizado em Jaboatão. Em setembro, o centro passará a contar com um segundo ponto descentralizado, no Recife Antigo.

O Polo Automotivo Jeep representa um investimento de R$ 6 bilhões, sendo R$ 4 bilhões na fábrica principal e mais R$ 2 bilhões de investimentos dos 16 sistemistas (fornecedores), que estão dentro do mesmo terreno para construir em formato e velocidade dinâmicas, com perdas reduzidas e tempo cronometrado. A proximidade garante uma maior nacionalização dos veículos produzidos em Goiana, que chega a 80%. Foram mais de dez mil empregos na construção civil. O mesmo número será usado na fase de operação, esperada para chegar ao pico no início de 2016.

A fábrica terá capacidade para escoar mais de 20 mil carros por mês. A princípio, sai da fábrica de Goiana o Renegade, que recentemente conseguiu cinco estrelas na pontuação do Programa de Avaliação de Veículos Novos para América Latina e Caribe. Foi a primeira vez que um carro produzido no Brasil recebeu esta nota. A expectativa é de que este ano sejam produzidos 100 mil veículos. A unidade possui capacidade de 250 mil unidades por ano.

 

Fonte: Diário de Pernambuco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: